Edição: 24

Dr. Jerônimo Ruiz Centero
Currículo

 
Dr. Guilherme Paro de Toleto Barros
Currículo
Fisioterapia para o tratamento de Incontinência Urinária parte 1

 

A Sociedade Internacional de Continência (ICS) define incontinência urinária como perda involuntária de urina. Dados da Organização Mundial de Saúde indicam que 10% da população brasileira (aproximadamente 18 milhões de pessoas) sofrem de incontinência urinária, sendo que destes, 70% são mulheres. Hoje em dia, incontinência urinária é uma condição que pode ser curada, tratada ou conduzida de uma forma que os problemas de controle vesical não interfiram com um estilo de vida saudável, produtivo e ativo. Muitas vezes, pequenas mudanças comportamentais possibilitam melhora significativa na qualidade de vida. A atuação da fisioterapia nesta patologia passa pela área de prevenção até tratamento do problema já instalado. A incontinência urinária é um problema universal, atinge homens, mulheres e crianças, levando muitas vezes a um prejuízo emocional, psicológico e social. Muitas pessoas têm medo de participar de atividades normais do cotidiano que os levem muito longe do toalete. Desta forma, é importante notar que a grande maioria das causas de incontinência podem ser tratadas com sucesso.

Algumas causas possíveis de incontinência são:
• Infecção urinária ou vaginal
• Efeito colateral de medicamentos
• Constipação
• Fraqueza de certos músculos da região pélvica
• Obstrução da uretra por aumento da próstata
• Doenças envolvendo nervos e/ou músculos
• Consequência de algumas cirurgias

Outras causas podem ser de duração mais prolongada, até mesmo permanente. Isso inclui situações como hiperatividade do músculo da bexiga, fraqueza dos músculos que seguram a bexiga no lugar, fraqueza no esfíncter uretral (músculos que circundam a uretra), problemas congênitos, aumento da próstata, lesões da coluna espinhal, cirurgias ou doenças envolvendo nervos e/ou músculos (esclerose múltipla, distrofia muscular, poliomielite e acidente vascular cerebral). Em muitos casos, vários fatores estão associados como causa da incontinência. Entenda a incontinência urinária Para esvaziar a bexiga é necessária uma coordenação entre o músculo da bexiga e os músculos que fecham a uretra (como se fossem uma torneira).

Estes músculos são chamados de esfíncteres e estão localizados na base da bexiga e na parede da uretra. Quando seu esfíncter relaxa, ele libera a passagem de urina. No mesmo momento o músculo da bexiga contrai, expulsando a urina para fora da bexiga. Quando você termina de urinar, os esfíncteres se fecham e a bexiga para de contrair. O mecanismo parece simples, mas para que ele funcione adequadamente, é necessário que uma complexa rede de neurônios e músculos trabalhem em total sintonia, caso contrário a micção ou o armazenamento de urina se tornam comprometidos. Classificação Existem diversos tipos de incontinência urinária, sendo estas as mais frequentes: Incontinência Urinária de Esforço A Incontinência Urinária de Esforço ocorre devido a uma deficiência no suporte vesical e uretral que é feito pelos músculos do assoalho pélvico ou por uma fraqueza ou lesão do esfíncter uretral. Essa condição leva à perda de urina quando você faz esforços com o abdome, tais como tossir, espirrar, correr, rir, pegar peso, levantar ou até mesmo andar. Incontinência Urinária por Urgência A Incontinência Urinária por Urgência acontece quando a bexiga está hiperativa, ou seja, contrai sem o seu comando ou desejo de que ela faça isso. Você pode sentir como se não conseguisse chegar ao toalete, um súbito desejo de urinar que pode ou não ser controlado. E algumas vezes, você pode perder urina sem nenhum aviso. Existem várias causas para essa condição.

Incontinência Urinária Mista A Incontinência Urinária Mista é uma combinação das duas condições anteriores. Incontinência Urinária por Transbordamento A Incontinência Urinária por Transbordamento ocorre quando a bexiga não é esvaziada por longos períodos, tornando-se tão cheia, que a urina simplesmente transborda. Isso pode acontecer quando existe uma diminuição da sensibilidade da bexiga (você não percebe que a bexiga está cheia), quando existe uma fraqueza do músculo da bexiga ou obstrução na uretra que dificulta o esvaziamento normal. A principal causa de incontinência por transbordamento é um aumento da próstata com obstrução da uretra. Por essa razão, este tipo de incontinência é mais comum no homem. Fraqueza do músculo da bexiga e diminuição da sensibilidade pode ocorrer em ambos, homens e mulheres, mas isso é mais comum em pessoas com diabetes, uso crônico de álcool e outros problemas que levem à diminuição da função neuronal. Enurese Noturna Enurese Noturna é a perda de urina que ocorre durante o sono. Este é o tipo mais comum na infância.

 
 
     
   
     
 
     
 
 
 
 
 
 
 
Powered by Ondasete